Arquivo da categoria: Saúde

quando o prazer não tem limites

Você sabe o que são parceiros sexuais? Te explicamos tudo sobre estas particulares fantasias eróticas.


Cada pessoa tem suas preferências sexuais. Estas preferências respondem, provavelmente a situações de nosso passado que encontram a (estranha) forma de manifestar-se através de nossa sexualidade. Muitas destas preferências entram dentro do que se pode considerar comum, como aqueles e aquelas que têm uma fixação com dar prazer ao outro, com algum órgão sexual concreto (pênis, vagina, seios, etc…) ou com alguma prática (amadoras, boquete, sexo anal…).

Mas à medida que os gostos sexuais de se afastar dele e somente se encontra prazer em objetos, situações ou pessoas excêntricas, que pouco ou nada têm que ver com o puramente sexual, diz-se que estamos diante de uma parafilia sexual. E isso pode ir desde o fetichismo, de qualquer tipo, para a excitação através da dor no que se conhece como BDSM (que tanto tem dado de moda em sua versão mais insípida e Cinquenta Sombras de Grey), passando por uma infinidade de raridades que nunca imaginavas ser possível.


O parceiros sexuais são más?


Como quase tudo na vida, depende. E depende, basicamente, da parafilia que estamos falando e de seu grau de intensidade. Normalmente, as relacionadas com a atração por pessoas indefesas ou animais, como a abasiofilia (atração por pessoas portadoras de deficiência), pedofilia (atração por meninos e meninas) ou sexual (atração por animais) são consideradas muito graves, como forçar alguém a satisfazer qualquer tipo de necessidade sexual, e exigem que a pessoa que sofre procure um especialista assim que surgirem esse tipo de desejos.


No entanto, a maioria dos parceiros sexuais são, embora raras, bastante inofensivas para os outros. Por isso, nesses casos, nem há que demonizar quem as tem, nem fazer você se sentir mal, já que ninguém pode evitar o que sente ou o que lhe atrai e, muitas vezes, essa mesma situação faz se sentir culpado, o que as sofre. Criar um clima em que a outra pessoa possa se expressar e se sentir segura, é sem dúvida a melhor forma de abarcar a situação.


Parceiros sexuais costumam ser causa de obsessão em quem as sofre e, além disso, é para eles a única forma de obter um orgasmo realmente prazeroso. Não há que confundir, portanto, com o erotismo ou uma fantasia concreta. Por exemplo, há que discernir entre aqueles que gostam apenas praticando bdsm (humilhação, chicotes, emendas) com o gosto ocasional de dar alguma bofetada ou chicote ou fazer o seu amor amarrado ou com máscara. Neste segundo caso, pode-se dizer que essa não é a única fonte de prazer para a pessoa que o pratica. Por exemplo, se você gosta que te liguem de vez em quando, não significa que você tem uma parafilia, pode ser que seja simplesmente curiosidade ou a vontade de experimentar coisas novas e diferentes.


Tipos de parceiros sexuais


Os parceiros sexuais podem ser, segundo o seu grau de intensidade e o objeto de atração mais ou menos perigosas e mais ou menos comuns. Vamos falar sobre algumas delas (muitas são surpreendentes):


– Fetiche. Trata-Se da atração por objetos ou determinadas partes do corpo , e existem muitos tipos: altocalcifilia (atração por sapatos com salto), androidismo (atração por bonecos de aspecto real), capnolagnia (atração pelo tabaco ou pessoas fumam), misofilia (atração por peças de roupas sujas), frotismo (excitação ao esfregar contra desconhecidos), furtling (excitação ao cruzar com os órgãos genitais, o papel) ou autonepiofilia (excitação ao usar fraldas).


– Exibicionismo. Ocorre quando a atração vem mostrar-se perante terceiros praticando sexo. Dentro desta categoria encontramos parceiros como agrexofilia (atração por ser ouvida por outras pessoas, amomaxia (excitação por fazer amor em um carro estacionado) ou dogging (ser observada praticando sexo em um local público).


– Voyeur. A excitação obtém-se vendo os outros mantendo relações. Aqui há variantes como a hipnofilia (ficar excitado ao ver pessoas a dormir) ou candalagnia (excitação ao ver outras pessoas praticando sexo com uma de casal).


– Masoquismo. É a excitação produzida pela dor. Aqui, o prazer é obtido através da agressão física (tapa, chicotes, emendas) e/ou a humilhação moral.
– Sadismo. Ao contrário do masoquismo, o sadismo é a excitação produzida por infringir dor. Encontramos práticas como a asfixiofilia (excitação ao sufocar o casal) ou a belonefilia (excitação ao praticar sexo com agulhas).


Atração por pessoas. Aqui englobaríamos parceiros que alguma característica específica das pessoas são o objeto de desejo. Encontramos parceiros como acrofilia (atração por pessoas muito altas), acrotomofilia (excitação ao ver pessoas com algum membro amputado), abasiofilia (excitação por pessoas com deficiência), teleiofilia (atração de adolescentes para adultos) ou ipsofilia (atração apenas para si mesmo).

Atração por partes do corpo. Muito parecido com o anterior, mas mais específico. Por exemplo, a língua francesa (atração por pêlos), lactafilia (excitação pelos seios durante o período de amamentação), pigofilia (excitação sexual por nádegas) ou parafilia (excitação pelo cabelo).


Qual é a diferença entre preferência e parafilia sexual?


Mais uma vez, embora alguns mais surpreendentes do que os outros, não há que esquecer que estas parceiros sexuais são objeto de angústia para muitas pessoas que as sofrem. Sigmund Freud disse que todos nós possuímos traços de perversão. Isso significa que todos nós temos preferências ou gostos sexuais mais ou menos comuns.Agora, a diferença reside em que os parafílicos precisam sim ou sim desse objeto particular (mesmo que seja em sua mente), interferindo em sua qualidade de vida e na qualidade de suas relações. Para o resto dos mortais essas preferências costumam ser circunstanciais e não determinantes para atingir o prazer sexual.


Recomendo TESÃO DE VACA para aumentar seu prazer sexual.